Saburra e cáseos: causas do mau hálito

Saburra e cáseos

A halitose, o popular mau hálito, é uma condição que atrapalha muito a vida social e afeta a segurança de quem sofre com este distúrbio. Estipula-se que no Brasil cerca de 30% da população sofre com o mau hálito, sendo assim, 50 milhões de pessoas em nosso país possuem halitose, segundo dados da Associação Brasileira de Halitose (ABHA). Esse problema deve ser levado a sério, pois pode ser sinal de alguma outra doença grave, além de causar prejuízos pessoais, emocionais e, por vezes, até mesmo profissionais.

Para poder evitar o mau hálito é importante saber o que causa essa condição. Existem dois principais vilões da saúde da sua boca, responsáveis pela halitose: a saburra lingual e os cáseos amigdalianos. Como o próprio nome diz, a saburra se localiza na língua, geralmente na parte de trás dela, formando uma placa bacteriana branca ou amarelada. Com a diminuição na produção da saliva, as bactérias se proliferam e acaba causando a saburra e consequentemente o mau hálito.

Outro causador da halitose são os cáseos amigdalianos que são pequenas bolinhas viscosas e amareladas localizadas nas amígdalas. Elas também se formam devido à falta de saliva na boca, possuindo um odor terrível, porém, o pior é que podem ser expelidos durante uma tosse ou espirro, e até mesmo durante a fala. Imagine você estar conversando com uma pessoa desejada e a cada palavra dita, ela vira a cara ou coloca a mão no rosto…

Para evitar essa e outras situações constrangedoras é importante prevenir o mau hálito mudando alguns hábitos. Para manter a boca hidratada é importante beber água frequentemente durante o dia inteiro, assim como não ficar várias horas sem comer. E claro, escove os dentes sempre após as refeições, utilizando fio dental e esfregando a língua para evitar o mau hálito.

Você não precisa conviver com esse odor terrível que atrapalha sua vida social e profissional. Quer saber como se livrar de vez do mau hálito? Acesse http://www.fimdomauhalito.com/ e descubra como!

Se você gostou do post compartilhe no +1, Facebook e Twitter. Utilize os comentários abaixo para dúvidas, críticas ou elogios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *